Seja bem-vindo ao Camille Razat Brasil, sua única e melhor fonte sobre a atriz no mundo! Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Somos um site não-oficial, feito de fã para fã, e sem fins lucrativos, portanto, não temos nenhum contato com a sua família ou seus agentes.

“Darren me disse que a história da minha personagem será ainda mais caótica”, disse a embaixadora da L’Oréal sobre a próxima temporada de “Emily in Paris”.

Camille Razat se satisfaz com o não convencional. Ela surpreendeu na amfAR deste ano em um vestido vermelho Avellano que era uma combinação de fantasia futurista de ficção científica e vestido fetiche.

Então, como foi usar um longo vestido de látex na maior festa do ano? “Suado”, brinca Razat sobre o visual inspirado no “Quinto Elemento”. “Mas vale muito a pena.”

A atriz concebeu o figurino para a maior festa do festival com um visual editorial em mente. “Foi totalmente minha escolha não ser tão literalmente glamourosa, com glitter e tudo, mas ser mais ousada.” Ela criou seu look de maquiagem de uma explosão de sombra vermelha com maquiadores da L’Oréal, já que ela é embaixadora da marca.

Ela está procurando jovens designers em um esforço para usar suas credenciais de moda “Emily in Paris” para destacar novos talentos. “O Instagram é uma ótima área, mas também há muitos deles, então é difícil ser notado. Eu quero dar exposição, esse é o meu objetivo.”

Razat também usa seu poleiro “Emily in Paris” para fazer isso, trabalhando com as figurinistas Patricia Field e Marylin Fitossi para trazer novos conceitos e “realmente avançar”, diz ela. Isso resulta em alguns dos looks totalmente exagerados pelos quais o programa da Netflix se tornou conhecido. A modelo olha para Kate Moss como sua estrela norte de estilo. “Ela é muito chique e rock ‘n’ roll, e é isso que eu amo.”

Razat estava pronta para estudar jornalismo antes de decidir tirar um ano sabático e acabar em uma aula de atuação. Não havia como voltar atrás.

“Emily in Paris” a levou à fama internacional, mas seu próximo projeto é um filme de terror francês intitulado “Mastemah”, sobre uma jovem psiquiatra que é assombrada por um ex-paciente que morreu na frente dela. É o oposto polar da personalidade de garota francesa sedutora que ela interpreta em “Paris”.

“Na França, é muito diferente do que na América. Você é rotulado com muita facilidade e rapidez. Então eu não queria dar a oportunidade para as pessoas me rotularem tão facilmente. Então eu estou tipo, ‘Ok, boa sorte. Você quer me rotular? Você não pode!” Então é por isso que eu fiz isso,” ela diz, incapaz de conter sua excitação.

A personagem é problemática e complexa, diz ela; ela prefere horror e ficção científica em sua própria fila de visualização. “Eu provavelmente sou uma nerd”, ela brinca.

Razat é uma lufada de ar fresco com sua honestidade sem pretensão. Ela reconhece como os designers precisam produzir criatividade e é realista sobre o negócio.

“Sei o quanto é difícil ser relevante”, diz ela. “Ser designer hoje com tantas coleções é uma loucura. Antes eles tinham uns 12 vestidos e hoje são 75 [por desfile]. É muito trabalho, e eu respeito isso.” Ela está usando Celine para o tapete vermelho deste festival.

Embora a escola de jornalismo tenha sido abandonada, ela ainda se dedica à escrita. No momento, isso é música, embora não haja planos de lançar nada em breve, e no futuro ela gostaria de escrever e dirigir. Ela está lançando sua própria produtora e pediu alguns conselhos à presidente da marca global L’Oréal, Delphine Viguier-Hovasse.

“Cinco minutos depois, juro, ela me apresentou a pessoas no que poderia ter levado um ano para entrar em contato com essas pessoas. É uma loucura, é muito solidária”, diz ela sobre a L’Oréal.

Mas Razat diz que gosta de fazer uma tarefa de cada vez, então esses projetos acontecerão depois que “Emily in Paris” terminar. Ela também é honesta sobre o quanto da Paris da série é uma fantasia, especialmente quando se trata da combinação de ruas de paralelepípedos e calçados. “Isso é ridículo, eu sei. Eu sou aquela que tem sorte. Eu nunca usaria saltos – [minha personagem] é uma parisiense! Mas Lily [Collins], na verdade, ela precisava consultar um médico todos os dias para cuidar dos pés. Eles eram tão ruins. Ela estava toda machucada e engessada em todos os lugares, até nas costas. Mas ela é uma profissional e eu a admiro muito.”

As temporadas três e quatro receberam sinal verde e são altamente antecipadas. Razat revela pouco, dizendo que eles ainda estão escrevendo e ela não viu nem uma página do roteiro. “Mas Darren [Star, produtor do programa] me disse que a história [da minha personagem] será ainda mais caótica.”

Tradução: CRBR | Fonte.

CRBR001.JPG
CRBR002.jpg